Megamax.com               Estilo Vip Net                   Sua Cara Seu Estilo

Lojas confiáveis para comprar pela internet

Logo_Homepage     Logo_Homepage     Logo     Logo 120x60     logo Logo_Homepage     Logo     Logo_Homepage     Logo Avon     Logo Logo     Logo_Homepage     Logo     Logo_Homepage     Logo - Homepage

Como combater o mau humor durante a dieta

Dicas para você combater o mau humor durante a dieta
De acordo com os especialistas, alguns alimentos têm nutrientes que regulam os neurotransmissores.






Links Patrocinados

Muitas mulheres encaram a dieta como um mal necessário. Mas, iniciar ou, pior ainda, reiniciar uma dieta após várias tentativas para emagrecer significa ter de passar por uma fase muito complicada. Neste período, é comum o mau humor e a irritabilidade aparecerem, prejudicando tanto o processo de emagrecimento como o dia a dia da mulher. Felizmente, existem dois aliados nesta árdua batalha contra as alterações de humor: a nutrição preventiva e o autoconhecimento.
De acordo com os especialistas, alguns alimentos têm nutrientes que regulam os neurotransmissores, substâncias químicas responsáveis pela comunicação entre as células, aumentando sensações como prazer, bem-estar, ânimo, além de reduzir o estresse e a ansiedade.


Alimentos, ricos em vitamina B6, triptofano, magnésio e cálcio, trazem equilíbrio para neurotransmissores importantes que atenuam o mau humor e a irritabilidade, como dopamina, noradrenalina, serotonina e endorfina.
Assim, a alimentação preventiva melhora a atividade cerebral, uma vez que pode estimular a produção desses neurotransmissores. Uma alimentação equilibrada é o passo fundamental para emagrecer e manter o humor em dia. Se alimentar bem é prover as necessidades nutricionais básicas diárias, incluindo melhor adequação de vitaminas e minerais, aumentando a ingestão de verduras e frutas. Ou seja, perder peso não significa deixar de se alimentar, ficar irritada e de mal com a vida.
Dicas para você combater o mau humor durante a dieta
Hábitos comportamentais
Identifique a gula: antes de comer alguma coisa faça uma pergunta a si mesma: eu estou mesmo com fome, ou é apenas vontade de comer algo? Tentar identificar pensamentos e circunstancias que antecederam o ato de comer e que podem ter desencadeado a busca por comida, por outras razões que não a fome, pode evitar que você como sem necessidade.

Avalie a função da comida em sua vida: pense se a comida faz com que você abra mão de outros prazeres, como fazer uma atividade física ou estar com os amigos. Algumas pessoas podem não estar satisfeitas com o corpo, e acabam ficando em casa e comem mais ainda, o que prejudica a sensação de bem estar e prejudica a dieta.

Procure outras fontes de prazer: busque maneiras de obter prazer que não envolva comida. Uma atividade física prazerosa, que você sinta realmente vontade de fazê-lo é uma ótima opção para garantir o bom humor e não sair da dieta.

Pense no futuro: é importante estar ciente que a comida garante uma gratificação imediata de prazer e alivio de tensão, mas, ao mesmo tempo, isso não ocorre com o regime, pois não é possível prever quanto tempo levará para emagrecer. Sendo assim, é preciso estar consciente e saber que emagrecer corretamente, por meio da redução alimentar, é algo para a vida toda, é uma mudança de comportamento que precisa ser praticada para o resto da vida. Contudo, a satisfação e sensação de bem estar é mais demorada, porém mais longa.

Tenha bom senso: erros dietéticos resultam em outros erros ainda maiores. Ou seja, pular refeições, jejum prolongado, dietas muito rigorosas ou “malucas” são motivos de mais ansiedade, em que você acaba comendo ainda mais.

Exagerou? Não desanime e comece novamente: quando estiver fazendo uma dieta não fique pensando muito no resultado, isso gera mais ansiedade. Cuide do processo, que o resultado vem por consequência. Caso tenha cometido um deslize ou exagero, não se culpe, recomece tudo de novo no outro dia. Haja como se cada dia fosse o primeiro.

Procure ajuda profissional, quando necessário: para emagrecer é preciso estar bem psicologicamente, pois você terá que lidar com frustração, irritabilidade e outros sintomas que podem surgir. Se há algum transtorno como bulimia, anorexia, compulsão alimentar noturna, depressão ou transtorno bipolar lhe atormentando, é necessário procurar um médico especialista. Ajuda emocional para emagrecer sempre é bem vinda, principalmente nesses casos. Além dessa, a disfunção chamada de alexitimia – que é a não identificação de emoções, sentimentos e sensações corporais – que podem fazer com que você confunda outras emoções com a fome e coma ainda mais.

Evite tentações: não compre alimentos que sejam difíceis de resistir, pois pode ser um fator de tensão e dificultar o processo de emagrecimento.

Desintoxique-se: é muito importante desintoxicar o corpo para que seu metabolismo funcione melhor. Para isso, tire da dieta alimentos e bebidas que contêm muitos aditivos, como corantes, e toxinas, como os agrotóxicos, pois eles agem negativamente no humor – uma vez que interferem no equilíbrio hormonal. Sendo assim, opte por alimentos orgânicos.

Não estabeleça metas irreais: se submeter a uma perda de peso inviável, como 5kg em uma semana, pode gerar uma pressão muito grande, deixando você mais ansiosa e, consequentemente, suscetível a comer mais.
Dicas para você combater o mau humor durante a dieta

Hábitos alimentares
Invista na gordura boa: boas gorduras também são desintoxicantes, como azeite de oliva, óleo de linhaça e óleo de macadâmia. Todos esses óleos são fontes de ômega 3, 6 e 9, que agem para desintoxicar nosso corpo, além de funcionar como alimento anti-inflamatório e estimular o equilíbrio hormonal feminino, diminuindo o inchaço. O óleo de linhaça, por exemplo, também melhora os níveis de serotonina no cérebro, controlando assim o sistema nervoso e reduzindo o nível de ansiedade.

Capriche na vitamina B9: alimentos ricos em vitaminas B9, sobretudo hortaliças e folhas verdes escuras, como agrião, espinafre, couve etc, feijões e cereais integrais ajudam a desintoxicar o organismo. Limão, alho, cebola, especiarias e sementes como, linhaça, gergelim, girassol e chia, também são alimentos que contêm a vitamina.

Coma banana: a banana possui o aminoácido triptofano, fundamental para a produção de serotonina, que melhora a estimulação de neurotransmissores e diminui alterações de humor. A falta de serotonina pode gerar depressão, irritabilidade, insônia, ansiedade, mau humor e hiperfabia – aumento exagerado da fome. Além disso, a banana é fonte de magnésio, que também evita a depressão.

Use mel, moderadamente: o mel também é um carboidrato rico em triptofano. Tem ação calmante, o que induz a uma sensação de bem estar, melhorando a função da serotonina no cérebro. Além disso, a ingestão de mel ajuda a preservar a integridade intestinal, pois ele, em conjunto com outros lactobacilos presentes no intestino, atua na regeneração da microflora intestinal. O que é muito importante, pois 90% da serotonina é produzida no intestino, resultando em mais prazer e menos tristeza. Mas, é preciso usar o mel com bastante moderação, pois é um alimento muito calórico.

Comer abacate faz bem: rico em ácido fólico, vitaminas C, E, B3 E B6, ferro, magnésio e potássio, o abacate tem mais proteína do que qualquer outra fruta. A vitamina B3, mas precisamente, tem ação específica sobre o sistema nervoso central, portanto colabora para a manutenção de hormônios que regulam as substâncias químicas do cérebro, trazendo um efeito relaxante. O magnésio, por sua vez, ajuda a prevenir a depressão. Mas, fique atenta pois a fruta possui alto valor calórico.

Inclua salmão, sardinha e atum na dieta: os peixes de água fria são excelentes fontes de ômega 3 – ácido graxo que tem efeito protetor sobre os neurônios. O ômega 3 tem efeito anti-inflamatório, é excelente para a memória e aumenta os receptores de neurotransmissores, como serotonina, dopamina e noradrenalina, todos aliados do bom humor e bem estar.

Consuma nozes e castanhas: As nozes possuem vitamina B1, que ajuda a converter glicose em energia. Também imita a acetilcolina, neurotransmissor envolvido com a memória que, assim como a serotonina, tem efeito relaxante.

Aposte no brócolis: com efeito desintoxicante, o brócolis contribui para vários distúrbios psiquiátricos, inclusive a depressão.

Não abra mão dos carboidratos: os carboidratos são fonte de triptofano, aminoácido essencial para a produção de serotonina, neurotransmissor ligado ao bem estar. Cuidado com as dietas que eliminam o nutriente do cardápio.

Não abra mão de seu alimento preferido: eliminar completamente do cardápio aquele alimento que você mais gosta também pode ser fonte de irritação e mau humor. O ideal é incluí-lo na dieta, mas sem exagerar na quantidade. Uma dica é comer tal alimento bem lentamente, mastigando-o bem, assim você se sentirá mais saciada.












Segundo o site damadeaco

0 Response to "Como combater o mau humor durante a dieta"

Postar um comentário

Mais Notícias